Vírgínia pede providências contra caso de assédio no Indea

A primeira-dama Virgínia Mendes repudiou o caso de assedio denunciado por uma ex-servidora no INDEA dentro do ´órgão.’ “É lamentável que este tipo de caso de violência ainda ocorra nos ambientes de trabalho e não podemos nos calar, por isso me solidarizo com a vítima e reforço que durante a nossa gestão este tipo de situação não será́ tolerada e nem ficará impune. Repudio todo e qualquer tipo de violência, principalmente em decorrência de gênero, e não compactuaremos com qualquer forma de assédio ou abuso contra à mulher”, escreveu.

Virginia pediu providencias contra o presidente do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea), Marcos Catão, acusado de assediar sexualmente uma servidora do órgão de 19 anos.

A publicação dela acompanha uma foto com um “X” desenhado na mão que identifica mulheres vítimas de violência.

Ela diz que assim que tomou conhecimento pediu ao governador que tome providências. E o presidente do INDEA foi exonerado.

O CASO

A jovem de 19 anos denunciou que no dia 12 de novembro de 2020, quando foi levar uma jarra de água no gabinete, o chefe disse que não precisava ficar de máscara e, em seguida, começou a “massagear o pênis” enquanto olhava para ela. Ela pediu exoneração e ainda registrou BO.

NOTA DO ACUSADO

“NOTA DE ESCLARECIMENTO ENVIADA A EMPRESA

Na qualidade de advogado do Sr. Marcos Catão Dornelas Vilaça, presidente do INDEA/MT, venho esclarecer que o mesmo foi surpreendido com a denúncia formulada pela Srta. Fany Cristina Batista Almeida em 16 de novembro de 2020 junto à Delegacia da Mulher de Cuiabá, quando também pedira exoneração do cargo de Assessoria Técnica III do INDEA, alegando importunação sexual.

No início de dezembro Marcos requereu junto a Delegacia da Mulher cópia integral da denúncia e o direito de ser ouvido, não tendo obtido nenhuma resposta até a presente data.

Também requereu junto à Corregedoria que fosse aberto um procedimento para investigar a denúncia da Assessora, não tendo obtido nenhuma resposta até hoje.

O Sr. Marcos tem a consciência tranquila de que nunca cometera qualquer ato de assédio ou importunação sexual contra quem quer que seja, tendo agido sempre com respeito e hombridade nas relações com os demais servidores do INDEA, do qual é servidor de carreira.

Aguarda sereno ser convocado para depor na Delegacia da Mulher e ter os fatos investigados na seara criminal e administrativa, quando sua inocência será declarada.

Cuiabá, 11 de janeiro de 2021.

FRANCISCO ANIS FAIAD"
 

INFORMES PUBLICITÁRIOS