Covid em 2021: o atraso da vacina e as consequências econômicas para a população

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Ideia, instituto de pesquisa especializado em opinião pública, junto com a Exame, 67% dos brasileiros afirma que a vacinação contra a covid-19 se encontra em atraso ao redor do país. Apesar de 33% considerar que o ritmo do processo está apropriado, a insatisfação é geral.

“A vacinação contra covid-19 tem alto grau de conhecimento da população e há enorme descontentamento com o ritmo de vacinações empregado pelo governo”, diz Maurício Moura, fundador do Ideia.

Para alguns países o processo de imunização teve início no fim de 2020, já o Brasil ainda segue com estudos de algumas vacinas.

Mas há um grande consenso entre os brasileiros, que trata-se da prorrogação do auxílio emergencial. 70% dos entrevistados pelo Ideia/Exame concordam com a manutenção do auxílio emergencial para este ano. Entre as regiões com o maior número de aprovação se destacam o Norte e Nordeste, sendo elas as que mais receberam com o benefício no ano passado.

O levantamento, inédito, também mostra que apenas 26% dos brasileiros são contrários à continuidade do auxílio e 4% não souberam opinar.

Com o anúncio de suspensão da continuidade dos pagamentos para 2021 do governo federal, a massa salarial dos moradores das regiões citadas deve cair em torno de 10%. A solicitação pela continuidade do auxílio se dá em grande parte entra a população mais vulnerável: 77% dos que ganham até um salário mínimo e 78% dos que não conseguiram completar o ensino fundamental defendem a extensão do auxílio.

A pesquisa também apresentou a avaliação dos brasileiros acima do aumento do salário mínimo, que de 1.045 reais passou para 1.100 reais no início do mês: 96% dos entrevistados julgam esse valor precário.

“Esse resultado é um indicador da defasagem entre as expectativas de renda da população e o aumento corrente dos preços”, diz Maurício Moura.

A pesquisa foi realizada com 1.200 pessoas entre os dias 11 e 14 de janeiro. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos. 



INFORMES PUBLICITÁRIOS