O que é Cardiopatia Congênita?

É qualquer anormalidade na estrutura ou função do coração que surge nas primeiras oito semanas de gestação quando se forma o coração do bebê.

 

Ela ocorre po uma alteração no desenvolvimento embrionário da estrutura cardíaca, mesmo que descoberto no nascimento ou anos mais tarde.

 

Segundo dados da sociedade brasileira de cardiologia no Brasil nascem aproximadamente 28 mil crianças com problemas cardíacos por ano, ou seja, a cada 100 bebês nascidos vivos 1 (um) é cardiopata. Dessas em torno de 80% necessitarão de alguma cirurgia cardíaca durante a sua evolução.

 

Os sintomas podem aparecer no nascimento, durante a infância, ou então só na idade adulta. E pode ainda ser assintomática.

 

Se detectado precocemente, os riscos de mortalidade são pequenos.

 

Geralmente o exame de ultrassonografia obstétrica verificando o coração do feto pode facilitar o diagnóstico na gestação ainda.

 

Por isso é aconselhável, o ecocardiograma fetal nas consultas de rotina de gestantes no pré-natal e exames de ultrassom morfológico. Eles são realizados, em geral, no segundo trimestre gestacional e possibilitam a identificação de má formação no coração da criança. Quando há suspeita de alguma anormalidade é realizado um ecocardiograma do coração do feto, o que permite avaliar e detectar detalhadamente anormalidades estruturais e da função cardíaca.

 

A detecção precoce é importante pois permite que o bebê possa receber cuidados adequados, medicações específicas e/ou cirurgia de urgência caso necessário.

 

O diagnóstico precoce, durante a gravidez, é importante para o planejamento do parto e pode salvar a vida do bebê naquelas cardiopatias mais complexas.

 

Há 2 tipos de cardiopatia:

 

1) Cardiopatia congênita cianótica

Este tipo de cardiopatia é mais grave, pois o defeito no coração pode afetar de forma significativa o fluxo sanguíneo e a capacidade de oxigenação do sangue.

 

2) Cardiopatia congênita acianótica

 

Este tipo de cardiopatia provoca alterações que nem sempre provocam repercussões tão graves no funcionamento cardíaco, e a quantidade e intensidade dos sintomas depende das gravidade do defeito cardíaco, que vão desde ausência de sintomas, sintomas somente durante esforços, até a insuficiência cardíaca.

 

Sintomas

 

Nos recém-nascidos e bebês, eles podem ser:


Cianose , que é a coloração roxa na ponta dos dedos ou nos lábios;

Suor excessivo;

Cansaço excessivo durante as mamadas;

Palidez e apatia;

Baixo peso e pouco apetite;

Respiração rápida e curta mesmo em repouso;

Irritação.

 

Nas crianças mais velhas ou nos adultos:

 

Coração acelerado e boca roxa após esforços;

Infecções respiratórias frequentes;

Cansaço fácil em relação as outras crianças da mesma idade;

Não desenvolve, nem ganha peso normalmente.

 

Os pais devem ficar atentos aos sinais.

 

Max Lima é médico especialista em cardiologia e terapia intensiva, conselheiro do CFM, médico do corpo clínico do hospital israelita Albert Einstein, ex-presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia de Mato Grosso(SBCMT), Médico Cardiologista do Heart Team Ecardio no Hospital Amecor e na Clínica Vida , Saúde e Diagnóstico. CRMT 6194

 

Email: maxwlima@hotmail.com


 



INFORMES PUBLICITÁRIOS