Deputados questionam distribuição de doses feita pelo Ministério da Saúde

 

A distribuição a conta gotas de doses de vacina que estão sendo enviadas pelo Ministério da Saúde tem deixado os deputados inquietos. Por isso a  mesa diretora da Assembleia Legislativa e a Comissão Parlamentar de Saúde, Previdência e Assistência Social querem que o Ministério da Saúde explique os critérios adotados para a distribuição da vacina contra a Covid para os Estados. A ação civil que será protocolada junto à Procuradoria da União em Mato Grosso, também levanta questionamentos quanto ao número de doses destinadas ao Estado, e o quantitativo divulgado em páginas oficiais do governo Federal.

Os parlamentares estaduais definiram que a ação tem como base o comparativo entre os dados disponíveis pelo governo federal no endereço eletrônico viz.saude.gov.br e as informações contidas nas notas de fornecimento das vacinas. Segundo o portal, até o último dia 2, Mato Grosso já teria recebido 561.210 doses da vacina, enquanto as notas de fornecimento apontam para apenas 159.190 doses.

Para o deputado estadual e médico Eugênio Paiva (PSB), que presidiu a comissão de saúde até fevereiro, as informações são contraditórias e não correspondem ao número real de doses entregues, o que deixa Mato Grosso em desvantagem em relação aos demais Estados. “Pedimos esclarecimentos e queremos entender a matemática utilizada pelo ministério para definir o quanto Mato Grosso deve ou não receber, e mais ainda, explicações contundentes sobre a diferença entre as doses enviadas e recebidas. Estamos [Mato Grosso] em desvantagem, nossa população está morrendo quando poderia estar sendo vacinada se o número de doses fosse real; nossa economia fica em desvantagem, nossos empresários, nossos professores e alunos, nossos profissionais da saúde, da segurança pública, entre outros da linha de frente. Queremos entender a lógica do governo federal em boicotar Mato Grosso”, cobra Eugênio, através da assessoria.



INFORMES PUBLICITÁRIOS