PM QUER SABER SE HOUVE NEGLIGÊNCIA NA MORTE DE MAJOR

O suposto aceleramento da morte do major Thiago Martins de Souza, falecido na madrugada deste domingo (4) por complicações da covid-19, o comando da PM será investigado.

 

O Comando-Geral oficiou o pedido de investigação no Conselho Regional de Medicina (CRM) e no Ministério Público do Estado (MP-MT) para saber se houve ou não negligência como denunciou a enfermeira ontem,  Amanda Delmondes Benício, contra o hospital particular São Judas Tadeu, onde trabalhava. Esses supostos erros teriam levado o major à morte.

A denúncia de Amanda não diz respeito apenas ao suposto tratamento oferecido ao major, mas a vários pacientes. O policial estava internado na unidade particular desde o dia 12 de março e com o agravamento da sua situação, o mesmo precisou ser transferido para um leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no Hospital Municipal São Benedito. Contudo, ele não resistiu às complicações da doença e acabou falecendo.

VEJA A NOTA DO COMANDO GERAL DA PM


O Comando Geral da Polícia Militar informa que está oficiando ao Conselho Regional de Medicina (CRM-MT) e ao Ministério Público Estadual (MPE) uma solicitação de apuração na esfera administrativa e criminal, respectivamente, da denúncia de possível negligência sofrida pelo major PM Thiago Martins de Souza durante internação em unidade hospitalar privada em Cuiabá.

No mesmo ofício, o Comando Geral da PM solicita aos órgãos oficiados acima que lhe seja oportunizado o acompanhamento e/ou atualizada sobre tais apurações.

Esta medida está sendo adotada a partir de denúncias veiculadas em reportagens publicadas em diversos sites e outros órgãos de imprensa nesta segunda-feira-feira (05.04).

O major Thiago morreu no último sábado (03.04), por complicações decorrentes da Covid-19, em outra unidade hospitalar, da rede SUS, em Cuiabá, para onde foi transferido após agravamento do seu quadro de saúde e consequentemente necessidade de internação em Unidade de Terapia Intensiva (UTI).  



INFORMES PUBLICITÁRIOS