Responsabilidade Social em tempos de pandemia

 O dever humanitário deve ser sempre uma tônica em nossas vidas, porem neste doloroso momento de pandemia requer mais esforços, empenho e um novo olhar frente a tanta dor e insegurança. Em nosso Estado e país as ações de responsabilidade sociais sempre foram importantes para mitigar os problemas das camadas mais vulneráveis, independente dos fatores geradores de pobreza. Mas, neste momento em que até mesmo as nações mais ricas e poderosas se prostraram diante deste vírus que rouba a vida e fragiliza economias mundiais, precisamos fazer mais.

O setor corporativo é um gerador de riquezas, emprego, tecnologia, avanços, por si ao garantir a renda de milhares de brasileiros cumpre seu papel, porem esta etapa sempre avançou e precisa decolar agora para acalentar os mais necessitados. Estamos diante de situações adversas, garantir emprego neste momento, pagar salários em dia são desafios, mas se sua empresa é mais abastada que outras, não hesite em estender um pouco mais as mãos. É preciso, é urgente!

A sobrevivência depende agora de um ciclo mais solidário, feliz da empresa que hoje consegue estender um fio de esperança em forma de cilindros de oxigênio, máscaras, álcool em gel, pagamentos de exames a funcionários, compra de medicamentos e até cestas básicas. Sempre alguém vai necessitar, sempre será o de origem mais humilde, aquele trabalhador que ainda precisa mais do que o salário para sobreviver, precisa da sua solidariedade.

O momento pede mais correntes do bem para acalentar choro, fome e medo. Feliz e próspera as empresas que podem levar essa luz ate mesmo fora dos pilares de sua própria empresa. Recentemente o próprio governo de Mato Grosso fez uma campanha sensibilizando inúmeras empresas quanto à doação de cilindros de oxigênio. Parabéns deu certo, em 48 horas, a força tarefa arrecadou 200 cilindros de oxigênio, uma doação equivalente a R$ 1 milhão.

Na realidade sabemos o que isso quer dizer, vidas com certeza foram salvas. E sabemos que outras mais poderão ser, mas também dependerá da sua responsabilidade social. Infelizmente a fome voltou a ser uma realidade cruel, a doação de alimentos também pode fazer parte da sua responsabilidade social. Vamos nos unir, nos respeitar e nos salvar!

Amir Maluf, CEO do Grupo São Benedito



INFORMES PUBLICITÁRIOS