Segunda-feira, 13 de Julho de 2020
UNIMED MARÇO

PolíciaAção integrada recupera 95 cabeças de gado furtadas em Poconé

Postado 3 semanas atrás Fonte: Maricelle Lima Vieira

Policiais militares da 6ª Companhia de Poconé (a 104 km de Cuiabá) e equipe do Grupo Especial de Fronteira (Gefron) recuperaram nesta quinta-feira (25.06), 95 cabeças de gado. Os animais foram furtados na cidade de Alto Paraguai, na terça-feira (23). O responsável em articular o furto foi identificado.

Conforme o boletim de ocorrência, os agentes foram informados que os animais estariam em uma fazenda próximo da cidade de Cáceres, cerca de 20 km de Poconé.

No local, os policiais encontraram o cunhado do proprietário dos animais. Ele contou que logo que soube do crime mandou mensagem em um grupo de motoristas de caminhão boiadeiro via aplicativo de conversa. Um dos membros disse que tinha sido contratado para transportar a boiada, mas desconhecia ser furtada.    

Os policiais foram até o local onde os motoristas que fizeram o serviço estavam e, confirmaram o ocorrido. O grupo contou que estranhou porque a todo o momento o homem que contratou o serviço gritava para carregar rápidos os caminhões. Desconfiaram também, porque, não houve o cuidado em separar as vacas, bois, bezerros e novilhas. Além dos animais estarem com marcas diferentes.

A equipe do Gefron foi até a propriedade e confirmou que a boiada era a mesma que havia sido furtada. O proprietário e vaqueiros contaram 95 cabeças de gado com a sua marca que foram levados de volta a sua propriedade.

Os agentes realizaram diligências e buscas pela região, mas nenhum suspeito foi localizado.

Serviço

A sociedade pode contribuir com as ações da Polícia Militar de qualquer cidade do Estado, pelo 190 ou, sem precisar se identificar, por meio do disque-denúncia 0800.65.3939. Nesse número, sem custo de ligação, qualquer cidadão pode informar situações suspeitas ou crimes. Exemplos: a presença de foragidos da Justiça com mandado de prisão em aberto e ponto de venda de droga.

Comentários

Os comentários não representam a opnião do jornal; a responsabilidade é do autor da menasgem.