Quinta-feira, 13 de Agosto de 2020
ENERGISA CORONA

BrasilAumenta oferta de imóveis de luxo em Florianópolis

Postado 1 mês atrás Fonte: Dina Cleise de Freitas
 

Capital catarinense tem mais de 150 mansões com preço a partir de R$ 10 milhões à venda em julho

Aumentou a oferta de imóveis de luxo em Florianópolis. Conforme dados do ZAP Imóveis, havia 134 mansões com preço a partir de R$ 10 milhões à venda na primeira quinzena de junho, número que subiu para 154 na primeira semana de julho. Um bom exemplo fica no condomínio St. Barth, no bairro Cacupé, próximo ao centro da capital catarinense. Uma das mansões está à venda por R$ 12,5 milhões, porque o proprietário deseja voltar a morar mais próximo da família, na Europa. 

A especialista em imóveis de alto padrão Ana Paula Dalcin, que atua desde 2015 no mercado de Florianópolis e tem uma imobiliária em seu nome, percebe aquecimento nas vendas. Inclusive, cita que a região Sul do Brasil foi a que registrou maior retorno de compradores potenciais, segundo a Datastore. "Apenas 5% desistiram das compras previstas para maio, sendo que o índice foi de 10% em abril. Ainda, 95% querem comprar em até 36 meses", destaca.

Ana Paula salienta que há muitas oportunidades especialmente para quem deseja fazer investimento ou upgrade. “É o melhor momento para financiar um imóvel. A baixa taxa de juros está movimentando o mercado”. A procura é facilitada pela Selic na casa dos 2,25% ao ano, que favorece os financiamentos.

Conforme dados da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), além da compra facilitada, o investidor ganha tanto com a renda do aluguel quanto com a valorização do bem em si. Nos últimos 10 anos, os imóveis tiveram valorização anual média de 9,4%, rendimento 44% superior ao gerado pela Poupança, segundo a Abrainc. Com o momento propício para investimentos, o sonho do imóvel de luxo fica mais próximo com aumento da oferta em Santa Catarina, por exemplo. 

Esse senso de oportunidade, seja para realização do sonho da casa própria ou para investimento, reflete-se no Índice FipeZap, que acompanha mensalmente o preço médio de venda de imóveis residenciais em 50 cidades. Segundo levantamento divulgado em junho, foi mantida no Brasil a tendência pré-pandemia com avanço de 0,23% em maio. A alta acumulada estava em 0,92% no ano, impulsionada pelo comportamento dos preços em Florianópolis (+3,67%), Curitiba (+2,72%) e Campo Grande (+2,56%).

 

Luxo ganha novo sentido com qualidade de vida

 

A definição de luxo é muito relativa, podendo resumir-se a benfeitorias materiais e extravagâncias para uns, mas, nos tempos atuais, tem assumido a percepção de bem-estar. “Hoje luxo é ter qualidade de vida, é poder desfrutar de ambientes confortáveis integrados à natureza, é preocupar-se com a sustentabilidade”, destaca a corretora Ana Paula. Talvez por isso grandes empresários e investidores estejam saindo das áreas centrais tomadas por prédios e buscando imóveis com jardins e vista para o mar ou montanhas.

O imóvel do bairro Cacupé representa bem isso por estar em uma capital que tem ares de cidade pequena – Florianópolis tem cerca de 500 mil habitantes. É uma casa projetada pelos renomados arquitetos Marchetti e Bonetti, em quatro níveis com amplos ambientes e vista livre para a natureza, com seis suítes, banheiros em mármore grego, móveis em madeira pinho-de-riga, adega e elevador, entre outros diferenciais do mais alto padrão de luxo e sofisticação. Ainda, conta com área clube completa com piscina aquecida de borda infinita, hidromassagem, sauna, sala fitness, minicampo de futebol, brinquedoteca, jardim, espaço gourmet com churrasqueira e até horta. 

E o proprietário e seus visitantes podem chegar por terra, água ou ar, pois o condomínio conta com clube náutico e heliponto. Não bastasse tudo isso, há aproveitamento ao máximo da insolação natural, com amplas paredes de vidro, sistema de esgoto, aquecimento solar e reaproveitamento da água da chuva. Além da espetacular vista para o mar, é claro.

 

Comentários

Os comentários não representam a opnião do jornal; a responsabilidade é do autor da menasgem.