Domingo, 22 de Setembro de 2019
NOTA CUIABANA

MundoDe olho na população de brasileiros no exterior, grupo lança revista em português simultaneamente nos EUA e Reino Unido

Postado 5 meses atrás Fonte: EXAME

Não é novidade que nos últimos anos o Brasil tem registrado a saída de muitos brasileiros para o exterior. A crise tem empurrado muita gente para dois destinos em especial, a Europa e os Estados Unidos.

De acordo com a estimativa mais recente do Ministério das Relações Exteriores, um contingente de mais de 3 milhões de brasileiros já estão vivendo no exterior, desde 2015.

As informações apontam que grande parte desse número embarcou para a Europa, e cerca de 1,4 milhão vivem nos Estados Unidos, tendo Miami como um novo point da classe média alta brasileira.

Claro que há quem diga que os Estados Unidos sempre foi o sonho de consumo de uma parcela grande da população brasileira, mas o fato é que mesmo morando em solo norte-americano é preciso ter os canais de comunicação falando do que os imigrantes precisam.

Pensando em cobrir a demanda por comunicação e publicidade deste número, cada vez mais expressivo de emigrantes, o grupo A Hora acaba de lançar o seu mais novo projeto multicultural, a Pier Magazine. Uma revista que integra informação e conteúdo da Europa e dos Estados Unidos, em formato digital e impresso pra manter os compatriotas bem informados. Com dois braços jornalísticos no exterior, um na Flórida e outro em Londres, a proposta da Pier é abranger os mais variados assuntos e necessidade de quem vive fora do Brasil. No entanto, a base continua sendo no Brasil, e segue com seu escritório principal no centro-oeste, garantindo a informação nacional de qualidade aos brasileiros, e fazendo a ponte com a produção internacional que está sob o comando das jornalistas Paula Tooths, nos Estados Unidos e Cristiane Lebelem, na capital britânica.

“Este projeto nasceu de nosso comprometimento com a informação e as preocupações crescentes quanto ao futuro do jornalismo, carente de inovações e credibilidade. Nossa missão é distribuir para nossos leitores, conteúdo de qualidade e abordar assuntos relevantes”, destaca Paula Tooths.

Além da atualização em tempo real pela versão online, pelo formato impresso, os leitores também poderão conferir um conteúdo extra, que traz novas possibilidades para que seus consumidores de conteúdo tenham um meio de comunicação ainda mais eficaz.

“No princípio a ideia era publicar só na Flórida no primeiro semestre e no segundo semestre, seguir com o projeto na Europa, mas a aliança com Londres ganhou uma grande importância no projeto, e cresceu mais rápido do que estávamos esperando”, conta Fabricio Magalhães, diretor executivo do Grupo.

Para a jornalista curitibana Cristiane Lebelem, que nos últimos 4 anos dirigiu duas publicações impressas para as comunidades de fala portuguesa e espanhola em Londres, o momento é crucial para manter a população bem informada. “Temos recebido cada vez mais brasileiros que precisam entender como reestruturar a sua vida fora do Brasil, precisam de informação e notícias, e isto no seu próprio idioma, já que existe também a dificuldade com o inglês”, revela.

Para a próxima edição, Paula Tooths e Cristiane Lebelem prometem ainda mais novidades, e integração aos assuntos importantes aos emigrantes brasileiros. Paula, que tem passagem pela TV Bandeirantes, BandNews, BandSports, Radio Lisboa e outras produtoras no Reino Unido, é responsável pelos assuntos norte-americanos, enquanto a ex-repórter da TV Record (RICTV) e da TV Globo (RPC), Cristiane Lebelem, é quem direto de Londres vem atuando nos assuntos de interesse da comunidade brasileira e lusófona.

A edição impressa de maio já está nas ruas da Flórida, e o grupo já articula a versão impressa também do outro lado do Atlântico.

O diretor do grupo garante que a edição de junho será ainda melhor e com tiragem maior, e a expectativa é que muito em breve a publicação passe também a ser distribuída em Lisboa.

Website: https://piermagazine.com/

Comentários

Os comentários não representam a opnião do jornal; a responsabilidade é do autor da menasgem.