Terça-feira, 12 de Novembro de 2019
NOTA CUIABANA

EsporteEscolinha de boxe inicia crianças e jovens no esporte pregando disciplina e respeito

Postado 1 semana atrás Fonte: NAIARA LEONOR

Um salão de paredes vermelhas. Ao centro um ringue. Nas laterais, meninos se revezam ao som dos punhos em choque contra os sacos de areia, que se movimentam. O Centro Cultural do bairro 1º de Março é arena de treinamento de cerca de 25 jovens, que liderados pela professora e ex-pugilista, Maristela Jesus Moraes Souza, aprendem sobre Boxe, mas também sobre disciplina, respeito e doação.  

Na última quinta-feira (31), o secretário de Cultura, Esporte e Turismo, Francisco Vuolo, esteve no local para visitar o projeto. A Pasta vem mapeando aparelhos e projetos de esporte por toda Cuiabá, a fim de descentralizar e democratizar os recursos da Secretaria.

“Quando a gente vê um projeto como esse, que é um projeto social, que você atende quase 30 crianças, tirando-as da rua, fazendo sonhar, praticando uma atividade como essa que é olímpica, extremamente educativa, a Prefeitura não pode virar as costas. Vamos nos aproximar cada vez mais, ver como o projeto acontece e apoiar com material, até para ampliar o número de alunos que queiram se inscrever. Junto com a Federação criar mecanismos para trazer parcerias. Esta é a determinação do prefeito Emanuel Pinheiro, que a Prefeitura se aproxime do cidadão, crie instrumentos para formar o cidadão, se preocupando não só com aspectos técnicos, mas com a inclusão, como observamos neste projeto, em que todos os seus atletas tem o mesmo tratamento. Isso é fazer uma gestão humanizada”, pontuou o secretário de Cultura, Esporte e Turismo, Francisco Vuolo.

Maristela toca o projeto há cerca de 4 anos. Não recebe pelo que faz, ministra as aulas de Boxe e da vida gratuita e religiosamente. Seu santuário é o ringue e sua fé está em cada criança/jovem que entra por aquela porta, todos os dias. Chega cedo, limpa o espaço, espera os alunos. De manhã, de tarde, de noite. Essa é a rotina.

“O que me motiva hoje é pegar um menino que está perdido para algumas pessoas e transformar ele em um homem. Eu tenho alunos aqui que hoje eu já não tenho medo dele fazer coisa errada. Eu passo na rua e ele me respeita até hoje. Às vezes, não são grandes lutadores, mas se tornaram grandes homens. Isso que é satisfatório. É mais do que ensinar um esporte. É o respeito”, disse a professora e idealizadora do projeto, Maristela Souza.

Orgulhosa dos alunos, um dos sonhos como professora da modalidade é que saia de sua academia um campeão brasileiro de boxe. E como semente a vontade se espalhou e vem germinando. É só olhar os brotinhos treinando. Dentre eles está Tomas Ribeiro dos Santos, de 15 anos. O garoto que sempre praticou esportes, como futebol, encontrou no boxe o prazer em se dedicar e competir. “Antes eu treinava futebol, mas não era muito bom”, conta rindo. “Meu sonho agora é virar boxista, ser lembrado e aparecer na televisão para todo mundo ver. Eu quero ser atleta. Com a professora eu aprendi a ter disciplina, melhorei minhas notas na escola, fiquei mais comportado”, comentou o adolescente.

Sempre parceira da modalidade e da Federação Mato-grossense de Boxe, a Prefeitura de Cuiabá, por meio da Secretaria de Cultura, Esporte e Turismo foi apoiadora do último Campeonato Nacional de Boxe, realizado no Ginásio da Lixeira, entre 29 de junho e 07 de julho. O evento contou com a participação de cerca de 130 atletas. Dentre os medalhistas estava o adolescente Tomas, que alcançou o terceiro lugar no pódio.

“A Prefeitura é uma grande parceira, sempre apoiando os campeonatos. A Secretaria de Esporte tem nos ajudado bastante a manter projetos como esse, de grande importância para os jovens, tirando-os das ruas. Isso aqui muda a vida das pessoas”, finalizou o presidente da Federação Mato-grossense de Boxe, Sebastião Borges.

Para mais informações sobre o projeto e como ajudar a mantê-lo em funcionamento, entre em contato com a professora Maristela pelo número (65) 9214-6846.

Comentários

Os comentários não representam a opnião do jornal; a responsabilidade é do autor da menasgem.