Terça-feira, 10 de Dezembro de 2019
MALAI2

BrasilGugu Liberato morre, aos 60 anos, nos Estados Unidos

Postado 3 semanas atrás Fonte: R7

O apresentador Gugu Liberato, de 60 anos, morreu nesta sexta-feira (22), em Orlando, nos Estados Unidos. O comunicador da Record TV estava internado desde quarta no hospital Orlando Health, quando sofreu uma queda em casa e bateu a cabeça.

A informação foi confirmada em nota assinada por familiares e funcionários de Gugu e divulgada pela assessoria de imprensa do apresentador. 

"Este é um momento que jamais imaginamos viver. Com profunda tristeza, familiares comunicam o falecimento do pai, irmão, filho, amigo, empresário, jornalista e apresentador Antônio Augusto Moraes Liberato (Gugu Liberato), aos 60 anos, em Orlando, Florida, Estados Unidos", diz o texto. 

O texto diz ainda que não há informações sobre o traslado do corpo para o Brasil. "Informações sobre velório e sepultamento serão passadas assim que tudo estiver definido". 

A família autorizou a doação de todos os órgãos, como era um desejo dele. 

O apresentador caiu de uma altura de quatro metros. Ele foi levado para o hospital inconsciente e teve morte cerebral. A pedido da família, o neurocirurgião de Gugu viajou até os Estados Unidos para examiná-lo. 

Maria do Céu, de 90 anos, mãe do apresentador, viajou para os Estados Unidos na quinta-feira para acompanhar o atendimento ao filho. Gugu ainda deixa mulher, a médica Rose Miriam di Matteo, e três filhos: João Augusto, de 18 anos, e as gêmeas Marina e Sofia, de 15 anos. 

Trajetória

Antônio Augusto Moraes Liberato nasceu em São Paulo e se consagrou um dos apresentadores mais celebrados da televisão brasileira. Começou a carreira no SBT, ainda adolescente, trabalhando na produção do Domingo no Parque, de Silvio Santos.

O primeiro grande sucesso de auditório na televisão dele foi o Viva a Noite, exibido aos sábados, entre 1982 e 1992. Em 1988, começou a dividir a grade de domingo do SBT com Silvio Santos, no comando de programas como Passa ou Repassa e TV Animal.

Entre 1993 e 2009, Gugu encabeçava no Domingo Legal uma acirrada disputa de audiência com o Domingão do Faustão, da Globo. Simultaneamente, entre 1991 e 1996, ainda apresentou o Sabadão Sertanejo, posteriormente substituído pelo Sabadão (1997 – 2002).

A estreia na Record TV aconteceu em agosto de 2009, no dominical Programa do Gugu (exibido até junho de 2013). Um dos destaques foi o quadro Escolinha do Gugu, inspirado na Escolinha do Professor Raimundo.  O humorístico resgatou personagens clássicos, além de novos atores no elenco.  

Em fevereiro de 2015, ele voltou ao ar na emissora, desta vez às quartas-feiras, no Gugu. A atração ficou no ar até 2017. 

Em 2018, o apresentador assumiu como titular do Power Couple Brasil e comandou a estreia do Canta Comigo.  A segunda temporada ainda está no ar na emissora, com final prevista para 4 de dezembro. A atração já foi totalmente gravada. 

Além da carreira na TV e inspirado no sucesso dos Menunos, na década de 1980, Gugu lançou os grupos Dominó e Polegar. Ainda na área musical, lançou quatro álbuns: Viva a Música (1986), Gugu (1994), Gugu cantando Com Você (1999) e Gugu Para Crianças (2002). 

No cinema, fez participações ao lado de nomes como Xuxa e Os Trapalhões. 

Leia a íntegra do comunicado de morte do Gugu

NOTA DE FALECIMENTO

Este é um momento que jamais imaginamos viver. Com profunda tristeza, familiares comunicam o falecimento do pai, irmão, filho, amigo, empresário, jornalista e apresentador Antônio Augusto Moraes Liberato (Gugu Liberato), aos 60 anos, em Orlando, Florida, Estados Unidos.

Nosso Gugu sempre viveu de maneira simples e alegre, cercado por seus familiares e extremamente dedicado aos filhos. E assim foi até o final da vida, ocorrida após um acidente caseiro.

Ele sofreu uma queda acidental de uma altura de cerca de quatro metros quando fazia um reparo no ar condicionado instalado no sótão. Foi prontamente socorrido pela equipe de resgate e admitido no Orlando Health Medical Center, onde permaneceu na Unidade de Terapia Intensiva, acompanhado pela equipe médica local.

Na admissão deu entrada em escala de Glasgow de 3 [usada para medir a consciência e a evolução das lesões cerebrais em um paciente] e os exames iniciais constataram sangramento intracraniano. Em virtude da gravidade neurológica, não foi indicado qualquer procedimento cirúrgico. Durante o período de observação foi constatada a ausência de atividade cerebral. A morte encefálica foi confirmada pelo Prof. Dr. Guilherme Lepski, neurocirurgião brasileiro chamado pela família, que após ver as imagens dos exames em detalhes, confirmou a irreversibilidade do quadro clínico diante de sua mãe Maria do Céu, dos irmãos Amandio Augusto e Aparecida Liberato, e da mãe de seus filhos, Rose Miriam Di Matteo.

Ainda não temos detalhes sobre o traslado para o Brasil. Informações sobre velório e sepultamento serão passadas assim que tudo estiver definido.

Ele deixa três filhos, João Augusto de 18 anos e as gêmeas Marina e Sophia de 15 anos.

Atendendo a uma vontade dele, a família autorizou a doação de todos os órgãos.

Gugu sempre refletiu sobre os verdadeiros valores da vida e o quão frágil ela se revela. Sua partida nos deixa sem chão, mas reforça nossa certeza de que ele viveu plenamente. Fica a saudade, ficam as lembranças - que são muitas - e a certeza que Deus recebe agora um filho querido, e o céu ganha uma estrela que emana luz e paz.

Familiares e funcionários

São Paulo, 22 de novembro de 2019

  

por taboola 

Links promovidos 

RECOMENDADAS PARA VOCÊ

O Canal de Paris foi drenado pela primeira vez após 200 anos. Os achados são assustadores!Trendscatchers

Esquenta Black Friday: produtos para fazer exercícios físicos em casa - Fotos - R7 EsportesEsquenta Black Friday

Venha ver o que esses ex-atores da Globo fazem hoje em diaDesafio Mundial

Retire seu dinheiro dos grandes bancos agora.EuQueroInvestir.com

Como Demi Moore está hoje em dia não faz sentidoFinancial Advisor Heroes

Famosos que morreram sem que ninguém soubesseTherapy Joker

Mulheres apostam em franquia de pagamentos e aumentam renda da família - Economia - R7 Meu Plano B

Evite acariciar esses cães na rua a todo custo!WomenTales.com

Famosos lamentam a morte de Gugu Liberato nas redes sociais - Entretenimento - R7 Famosos e TV

Onde Robinho mora aos 35 anos é de cortar o coraçãoHealthy George

Artrite sem dor! Chega ao Brasil pílula alemã que engrossa cartilagemArticaps

Livros mais vendidos prometem sucesso financeiro e guinada na vida - Fotos - R7 Entretenimento

mais lidas

Anunciada oficialmente a morte do apresentador GuguEntenda a morte cerebral causada por traumatismo cranianoRelembre o início da carreira de apresentador de Gugu LiberatoAinda não há previsão para a liberação do corpo de GuguCaso Lucas: mãe é transferida para centro de detenção provisóriaFamília de Gugu Liberato agradece o carinho dos fãs"Para de se fazer de coitadinho", dispara Hari para Lucas Viana

+

Gugu Liberato abriu espaço para É o Tchan, Mamonas e Shakira

Do R7

 

23/11/2019 - 01:00

CONTINUAR LENDO

+

Gugu se inspirou no Menudo para criar os grupos Dominó e Polegar

Helder Maldonado, do R7

 

23/11/2019 - 01:00

Polegar e Dominó em suas formações originaisDivulgação

Apesar de Gugu ter se destacado principalmente como apresentador de TV, sua atuação nos bastidores gerou projetos de sucesso que marcaram época.

Com a produtora Promoart, ele se destacou no ramo do empresariamento artístico e criou duas das mais relevantes boybands da história brasileira: Dominó e Polegar.

Leia também: Gugu caiu de altura de 4 metros após o forro da casa ceder

Inspirado no sucesso avassalador dos porto riquenhos dos Menudos, grupo que revelou para o mundo Robi Rosa e Ricky Martin, o comunicador participou de todo o processo para selecionar os integrantes dos projetos nas variadas fases que eles tiveram.

O primeiro passo rumo à estruturação da ideia aconteceu em 1984, quando Gugu Liberato, então à frente do Viva a Noite, começou a formar o Dominó.

Nos testes realizados, os participantes precisavam cumprir duas exigências: saber cantar e dançar, já que coreografia era um dos fatores do êxito das boybands.

A seleção foi realizada com muita concorrência e os escolhidos foram Affonso Nigro, Nill, Marcos Quintela e Marcelo.

Ainda em 1984, o grupo lançou um compacto pela CBS com duas versões cover: Ela Não Gosta de Mim (Standing in the Twilight, de Maywood) e Companheiro (Camarero, de Enrique del Pozo), que foi a primeira música deles a estourar nas rádios, com direito a videoclipe lançado no Fantástico, da Rede Globo.

Dominó na primeira formação: sucesso internacionalDivulgação

O grupo fez sucesso muito rápido e em 1985 lançou o primeiro álbum completo, puxado pelo single Ainda Sou Você e a participação da Turma do Balão Mágico nas faixas Chega Mais Um Pouco e Fim de Semana.

Apesar do mercado latino estar dominado pela febre Menudos àquela altura, o Dominó resolveu concorrer com quem o inspirou. E teve êxito. No mesmo ano da estreia nacional, saiu também um disco em espanhol que possibilitou sucesso em países da América do Sul, América Latina e Caribe.

Mas o auge da carreira veio em 1987, com o terceiro LP, que trouxe o sucesso P da Vida, maior hit do Dominó na carreira. Após lançar o quarto disco, o reflexivo e maduro Álbum Preto, a banda passou a perder espaço no cenário pop e Nill resolveu sair, no fim de 1989.

Altos e baixos

Em paralelo a esse encolhimento do sucesso, o próprio Gugu passou a apostar em outro projeto musical: o Polegar. Formado em 1989, o quinteto seguia passos diferentes do Dominó. O som era mais focado em pop rock e os integrantes tocavam instrumentos em vez de dançar.

Rodrigo Faro em uma das fases da boybandDivulgação

Com o sucesso deles, o Dominó perdeu cada vez mais espaço e, em 1992, foi a vez de Afonso Nigro sair. Para dar continuidade, a Promoart colocou dois novos integrantes na formação: Ítalo Coutinho e Rodrigo Faro.

Essa fase gerou um único sucesso, que foi o single Sem Compromisso, cantado por Marcelo e Mara Maravilha, namorada do cantor no período.

Em 1993, Marcos Quintela deixou o grupo e foi substituído por Fábio. No final do mesmo ano, foi a vez de Marcelo Rodrigues se despedir, o que deixou o grupo sem nenhum membro original.  A formação passou a contar com Ítalo Coutinho, Rodrigo Faro, Fábio e Valmir.

Em 1995 o Dominó muda de novo: Valmir permanece no grupo após um pequeno período de pausa, até surgir mais uma formação, desta vez com os integrantes Rodrigo Phavanello, Héber Albêncio, e Ricardo Bueno (que morreu em 2017).

Última fase de sucesso da banda, no fim dos anos 90Divulgação

Com essa formação, eles atingiram um ligeiro sucesso com a música Põe Põe. No mesmo ano, sai Valmir e entra Cristiano Garcia. Em 1997, Ricardo Bueno deixa o grupo e entra Rodriguinho. Com essa configuração, o grupo volta a fazer sucesso com Baila, Baila Comigo.

Esse foi o último grande sucesso da banda enquanto pertencia ao escritório Promoart, de Gugu Liberato. A partir de 2003, a banda teve seus direitos cedidos a um outro empresário, que explorou a marca nos últimos 16 anos com diversas formações, porém com pouco sucesso.

Polegar

Enquanto o Dominó perdia espaço no mercado, o Polegar ocupava o lugar que antes foi do quarteto. A criação da boyband foi parecida coma a do Dominó. A Promoart realizou uma seleção entre músicos interessados em participar do projeto. Desta vez, foram escolhidos cinco integrantes:  Alan Frank, Alex Gill, Ricardo Costa, Rafael Ilha e Marcelo Souza.

Polegar: sucesso estrondoso como banda de pop rockDivulgação

Lançados no ano de 1989, logo no primeiro álbum a banda lançou Dá Pra Mim, que proporcionou os primeiros discos de ouro e platina, com mais de quinhentas mil cópias vendidas.

Outros sucessos vieram na sequência, como Ando Falando Sozinho e Sou Como Sou. 

Em 1990, com o lançamento do segundo álbum, o sucesso de Ela Não Liga levou o grupo novamente ao disco de ouro e de platina, ultrapassando a marca de 250 mil cópias vendidas.

Em 1991, saiu Quero Mais II, que ficou entre as canções mais executadas no Brasil, proporcionando ao grupo novo disco de ouro e superando a vendagem de cem mil cópias.

Em três álbuns gravados, o Grupo Polegar conquistou a marca de mais de um milhão de cópias vendidas. No ano de 1994, após a saída de integrantes, o quarteto com sua primeira formação se desfez. O grupo encerrou as atividades de forma definitiva no ano de 1997. 

Retorno do Polegar em 2014 não gerou interesseDivulgação

Em 2003, aproveitando o revival dos anos 80 que acontecia naquele momento, o Polegar retornou às atividades, com três integrantes da formação original: Alex, Alan e Ricardo (dessa vez tocando guitarra) e um novo integrante no grupo , o baterista e professor de música Fernando Kitagawa.

Em 2014, foi anunciada uma segunda reunião do grupo para a gravação de um DVD comemorativo aos 25 anos da banda, mas o projeto foi cancelado devido à falta de interesse do mercado e do público.

Outros artistas

Eliana e Adriana Colin passaram pelo Banana SplitDivulgação

O casting da Promoart não contou apenas com as duas boybands. Gugu apostou em outros estilos também. Passaram pela produtora músicos, duplas sertanejas e bandas adultas.

Fizeram parte do elenco de artistas contratados o cantor Marcelo Augusto e Banana Split, grupo formado por ex-misses e modelos, como Adriana Colin, Eliana e Andrea Reis.

Quando começou a apresentar o Sabadão Sertanejo, Gugu investiu na dupla Jean e Marcos, que teve sucesso tímido nos anos 90, mas se manteve na ativa por oito anos.

A empresa revelou outros nomes e atuou também na organização e produção de eventos por todo o Brasil desde 1984.

CONTINUAR LENDO

+

Gugu e Faustão interagiram ao vivo no auge da guerra por audiência

Do R7

 

23/11/2019 - 01:00

'Domingo Legal' e 'Domingão do Faustão' interagiramReprodução/YouTube

Entre os anos 1990 e 2000, Fausto Silva e Gugu Liberato travavam uma "guerra" pela audiência dominical na televisão brasileira. Na época, o apresentador da Record TV, que morreu aos 60 anos nesta sexta-feira (22), comandava o Domingo Legal, no SBT, e era uma verdadeira pedra no sapato da Globo. O confronto direto era com o Domingão do Faustão e Gugu vencia o concorrente com folga em diversos momentos ao registrar altos números no Ibope.

Em meio a briga pela audiência, era difícil imaginar uma interação entre os comunicadores, porém, o improvável aconteceu. Em 2003, uma marca conseguiu fazer um crossover entre os dois programas e reunir os dois maiores rivais da televisão brasileira. Na ocasião, Faustão e Gugu interagiram ao vivo e dividiram a tela no palco das respectivas atrações para dar detalhes da ação publicitária.

No discurso, Gugu falou sobre esse momento histórico: "Acho que o Brasil inteiro nunca imaginou um momento como esse. Eu e você juntos e ao vivo em pleno domingão". Faustão também aproveitou a oportunidade para esclarecer que a disputa entre eles era apenas profissional: "Ao contrário do que muita gente até gostaria, nós somos concorrentes, jamais fomos inimigos. Muito pelo contrário. "

Em plataformas como o YouTube é possível encontrar em canais de fãs o vídeo do encontro que ficou marcado na TV brasileira. Assista: 

CONTINUAR LENDO

+

'Dono do palco e do auditório', diz Sonia Abrão sobre Gugu Liberato

Aurora Aguiar, do R7

 

22/11/2019 - 22:57

Sonia Abrão exaltou qualidades de Gugu LiberatoReprodução/Instagram

A jornalista e apresentadora Sonia Abrão ficou abalada com a notícia da morte do colega de profissão e amigo, Gugu Liberato, na noite desta sexta-feira (22).

Sonia trabalhou com o comunicador de 1997 a 2000 como repórter do Domingo Legal, programa de sucesso comandado por ele no SBT.

Em conversa com o R7, a apresentadora exaltou as qualidades do artista. "Gugu nasceu para ser comunicador, popular, sem estrelismo, sorrisão sempre aberto, criativo e antenado com o gosto do público. Espontâneo, sincero e solidário. Deixa sua marca na TV brasileira, dono do palco e do auditório, repórter mundo afora, realizador de sonhos de tanta gente humilde. Um artista completo."

Sonia também lamentou a partida precoce de Gugu e falou sobre a falta que ele vai fazer. "Um amigo para sempre. Uma falta eterna. Sou só gratidão pelo privilégio de ter trabalhado com ele naquelas frenéticas tardes de domingos tão legais! Com Gugu, também se vai um pedaço da minha história", desabafou.

CONTINUAR LENDO

+

Bacci desabafa após morte de Gugu: 'Vai doer demais meu coração'

Do R7

 

22/11/2019 - 22:00

Bacci relembrou momentos com GuguReprodução/Record TV

Luiz Bacci conversou com Adriana Araújo e Celso Freitas no Jornal da Record, nesta sexta-feira (22), e relembrou momentos marcantes que teve ao lado de Gugu Liberato.

O jornalista lamentou a morte do comunicador e declarou estar ainda desacreditado na partida precoce do amigo.

"É o que o Rodrigo Faro disse: parece que a ficha não cai, parece que não é real. Por mais que nos contem, que a gente tenha acesso às informações, parece algo irreal", desabafou Bacci, que declarou ser fã de Gugu desde criança. "Minha paixão pela televisão se despertou assistindo aos programas do Gugu aos domingos. Eu observava não só o modo dele apresentar mas a forma como ele dirigia o programa."

Bacci foi repórter do programa de Gugu em 2006 no SBT e, desde então, construiu uma ótima relação com o comunicador. "A gente conversava muito sobre televisão, sobre carreira... Na primeira semana que me mudei para meu apartamento em São Paulo, ele veio aqui gravar entrevista. Inclusive, nesse sofá, está o presente que guardo com o maior carinho que ele meu deu: uma almofada com a foto do Toy, meu cachorro", contou o jornalista mostrando a lembrança.

A última vez que Bacci conversou com o apresentador foi na segunda-feira (18). "Quando soube da notícia, mandei uma mensagem para ele e quando vi que a mensagem não tinha chegado... Vai doer demais meu coração", lamentou o jornalista.

 

Comentários

Os comentários não representam a opnião do jornal; a responsabilidade é do autor da menasgem.