Sábado, 08 de Agosto de 2020
JBS

BrasilPesquisa mostra que Judiciário é o poder com melhor avaliação no país

Postado 9 meses atrás Fonte: pau e prosa

Pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) em parceria com a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) revela que o Judiciário é o poder mais bem avaliado pela sociedade, advogados e defensores públicos no quesito confiança (52%). Na mesma verificação o Executivo alcançou 34% e o Legislativo, 19%. A sondagem, realizada no período de agosto de 2018 a agosto de 2019, ouviu mais de 2,5 mil pessoas junto a vários segmentos sociais.

“Esse resultado demonstra que o Judiciário vem trabalhando no sentido correto, ganhando a confiança da sociedade, buscando sempre a celeridade e transparência", comemorou o presidente da Associação Mato-grossense de Magistrados (AMAM), Tiago Abreu. Para o presidente da AMB, Jayme de Oliveira, a morosidade é um grande desafio a ser enfrentado no sistema de Justiça, em virtude do alto número de processos em tramitação. São 80 milhões para cerca de 18 mil juízes. Ainda assim, segundo o magistrado, o Judiciário atende as demandas e tem uma boa avaliação das pessoas as quais recorrem à Justiça para resolver seus problemas.

O conhecimento proporcionado pelo estudo será uma importante ferramenta para que se promova melhorias no sistema de Justiça não só neste sentido. “Esse é um trabalho que apresentamos à sociedade para que o Judiciário conheça suas qualidades e também deficiências, e, assim, possa trabalhar no aperfeiçoamento dessa instituição tão importante para a democracia”, disse Jayme de Oliveira.

“Nós acordamos para a necessidade de tornarmos o Judiciário conhecido”, ressaltou a presidente eleita da AMB, Renata Gil. Segundo a magistrada, essa é uma forma de “enxergar as dificuldades e pensar num futuro promissor para nossa carreira da Magistratura, e também para a sociedade brasileira que confia no Poder Judiciário”. Segundo o estudo, quase 60% dos brasileiros entende que é necessário buscar o Judiciário para resolver suas questões.

O estudo foi encomendado pela AMB e realizado pela FGV-Rio e pelo sociólogo e cientista político Antônio Lavareda. Realizado no período de agosto de 2018 a outubro de 2019, a pesquisa ouviu mais de 2,5 mil pessoas, entre advogados, defensores públicos e cidadãos comuns. A coordenação da pesquisa ficou a cargo do ministro Marco Aurélio Bellizze, do STJ, com subcoordenação da presidente eleita da AMB, Renata Gil.

Para Bellizze, o levantamento é um instrumento valioso de aperfeiçoamento administrativo do Poder Judiciário. “Será possível saber o que não está funcionando, qual é a percepção das pessoas em relação aos serviços e, assim, conseguir regularizar o serviço e comunicar-se para explicar eventual falha na própria percepção da sociedade sobre o serviço do Judiciário”, disse o ministro, frisando, ainda, que o Judiciário precisa trabalhar a comunicação interna e externa a partir do retorno da sociedade.

Comentários

Os comentários não representam a opnião do jornal; a responsabilidade é do autor da menasgem.