Quarta-feira, 03 de Junho de 2020
Unimed corona

VariedadesQuarentena é momento de reduzir, reutilizar e reciclar

Postado 2 meses atrás Fonte: Luciane Mildenberger

Reforçar as ações de reciclagem, garantindo a separação dos resíduos e a diminuição dos itens enviados aos aterros sanitários das cidades, é uma boa pedida para quem está de quarentena em casa durante a pandemia provocada pelo novo coronavírus (COVID-19).

O momento também é uma ótima oportunidade para as pessoas adquirirem o hábito do consumo consciente, praticar medidas simples de separação dos resíduos sólidos domésticos, reduzir a quantidade de lixo e obter somente o necessário na hora das compras.

Para a analista da Coordenação do Sistema de Gestão Ambiental do Sesc Pantanal, Isana Gajo, tudo começa com planejamento antes de ir ao supermercado. "As pessoas devem planejar suas compras para adquirir aquilo que é realmente necessário para o período, nada de estocar, porque pode faltar para os outros e também não é legal para o planeta, pois acaba gerando muito consumo e, consequentemente, maior volume de descarte de resíduos”, explicou.

Segundo ela, mesmo não podendo se deslocar até um ponto de reciclagem, a população pode armazenar os resíduos em um local, em casa, até que possam ter a destinação correta. Ou ainda podem abusar da criatividade e fazer materiais de uso doméstico.

“Uma garrafa pet pode virar um porta canetas e as latas podem virar potes para armazenamento de grãos. Já os papéis podem ser reutilizados: deixe os versos para os filhos brincarem, faça papel picadinho e brincadeiras em casa educando e sensibilizando as crianças”, destaca Gajo.

A quarentena não é exatamente um período agradável, mas também pode ser o momento de rever atitudes e incorporar novas atividades, como a compostagem, sendo que devemos também pensar mais nas palavras, reduzir, reutilizar e reciclar.

Portanto, com relação ao reaproveitamento dos resíduos orgânicos, a alternativa é a compostagem doméstica. O engenheiro Florestal do Parque Sesc Serra Azul, Henrique  Sverzut, comenta que a compostagem é o processo que transforma resíduos orgânicos em composto que podem ser utilizados como adubo orgânico e substrato. Isso se dá por meio da decomposição controlada de resíduos orgânicos. “Utilizando materiais que tenham em casa, como baldes, é possível fazer a compostagem, mesmo morando em apartamento”, sugere.

Ele explica que todo o resíduo orgânico doméstico pode ser destinado para a produção de compostos que podem trazer sucesso na produção de alimentos, fibras, madeira, flores e árvores, além de ser abrigo para bons momentos. "Não jogue fora e não trate com desprezo os resíduos que podem melhorar a vida das pessoas”, enfatiza Sverzut.

A analista Isana Gajo avalia que o momento de confinamento pede que as pessoas tenham mais responsabilidade com o meio ambiente. “A segregação dos resíduos não deixa de ser importante, até porque a destinação incorreta ocasiona poluição, proliferação de vetores e isso pode retornar de uma forma agressiva para a nossa vida. Tudo aquilo que lançamos ao planeta, o planeta devolve para nós", conclui, ao complementar que hoje vivemos o coronavírus, amanhã pode ser algum outro vírus ou vetor que possa ser desencadeado por ações de irresponsabilidade da da gestão de resíduos.

Entenda o seu lixo:
Orgânico: frutas, verduras, cascas de ovos, tudo o que é de origem animal ou vegetal.
Rejeito: o que não pode ser reciclado e não é orgânico, como o lixo do banheiro.
Seco: embalagens que podem ser recicladas de plástico, vidro, papel, metal.
Separe certo o lixo: orgânico pode virar compostagem. É melhor lavar o lixo seco. Precisa estar tudo separado na hora de ir para a rua.
Use o que você já tem: ao invés de jogar fora todos os potes de plástico, use-os até estragar. Depois, compre de vidro ou metal.

 

Como fazer compostagem

O engenheiro Florestal Henrique Sverzut ensina como fazer compostagem com materiais simples como latas e caixas.

 

Você vai precisar de dois baldes com tampa (ambos de mesmo tamanho), uma torneira de filtro, serragem ou pó de serra ou mesmo folhas secas e podas de jardim.

1°: recortar a tampa de um dos baldes, de forma que o outro balde consiga se encaixar na tampa recortada.
O balde com a tampa deverá ficar embaixo e o outro balde ficará por cima. A função do balde de cima é conter todos os materiais que serão decompostos. A função do balde de baixo é conter o chorume da decomposição.
2°: Colocar a torneira de filtro na base do balde de baixo. Essa torneira, será essencial para recolher o chorume sem ter que desmontar todo o sistema.
3°: Fazer 15 a 20 furos no fundo do balde de cima, furos de até meio centímetro. Esses furos servem para escoar para o balde de baixo o chorume vindo da decomposição no balde de cima.
4°: no balde de cima, na parte superior das laterais, fazer pequenos furos, de 1mm. Esses pequenos furos servem para permitir a entrada de ar, essencial para acelerar a decomposição. É importante que esses furos sejam feitos nos primeiros 5 cm do balde, pois se for mais abaixo, o chorume pode vazar pelo pequeno furo. Também é importante que o furo seja pequeno, pois não pode servir de entrada para moscas e outros insetos indesejados na residência.
5°: Colocar uma camada de 2cm de espessura de serragem no fundo do balde de cima. Isso é para evitar o entupimento dos furos de escoamento de chorume.


Feito! Agora é só colocar o resíduo de origem vegetal (recomendado para composteiras caseiras) no balde de cima, sobre a serragem. A cada camada de resíduo, colocar uma camada de mesma espessura de serragem. Quanto mais finas forem as camadas, melhor. É importante colocar a tampa no balde de cima. Compostagem é uma ideia fantástica, mas a isso não quer dizer que a decomposição seja agradável, então, tampe para não deixar à mostra.
O chorume pode ser diluído a uma proporção de 1:10 (para cada litro de chorume, 1 litro de água) e adicionado nos vasos e jardins, é um fertilizante excelente.

Comentários

Os comentários não representam a opnião do jornal; a responsabilidade é do autor da menasgem.