Sábado, 22 de Fevereiro de 2020
ENERGISA INTERNO

PolíticaTrinta e oito mulheres são diplomadas e se tornam Promotoras Legais Populares em Cuiabá

Postado 5 anos atrás Fonte: ANDREA MEDEIROS
Foto: MPE

Trinta e oito mulheres receberam  no Plenário das Deliberações “Deputado Renê Barbour”, na Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso, o certificado de conclusão do curso “Promotoras Legais Populares”. O projeto é resultado de uma parceria entre o Ministério Público do Estado de Mato Grosso, Assembleia Legislativa, Sala da Mulher, Câmara Municipal e Fundação Escola Superior do Ministério Público. Na solenidade, a promotora de Justiça e coordenadora geral do projeto, Lindinalva Rodrigues, agradeceu os parceiros da iniciativa, e explicou que o projeto visa levar cidadania as mulheres das mais variadas sociedades. Ela destacou ainda, a queda acentuada de feminicídio em Cuiabá. Em 2012, foram 18 mulheres mortas por conta de violência doméstica, no ano seguinte, sete vítimas. Já em 2014, seis e esse ano, ainda não tivemos nenhum registro. “A todos que atuam nesse enfrentamento, não desanimem em razão das críticas, a maioria delas injustas, pois são muitos os trabalhos a serem executados”, salientou Lindinalva. Já o Procurador-geral de Justiça do Estado de Mato Grosso, Paulo Roberto Jorge do Prado, parabenizou o empenho das formandas e reafirmou o compromisso na continuidade do projeto em sua gestão. “Essas 38 voluntárias que hoje estão recebendo o certificado, demonstram o amor que possuem pelo próximo, pois Carlos Drummond de Andrade fala que “amar só se aprende amando”, e, vocês, caras formandas, num gesto espontâneo de amor ao próximo, abriram mão de momentos junto aos seus familiares, e se prontificaram, durante um ano, a se prepararem, se capacitarem, para defenderem e orientarem as mulheres quanto aos seus direitos na luta contra a violência doméstica e na igualdade de gênero”, pontuou Prado. Ele ainda parabenizou os parceiros do projeto e se comprometeu a dar continuidade nos trabalhos com a formação da terceira turma. A formatura da segunda turma também foi comemorada pela juíza da 1ª Vara de Violência Doméstica, Ana Cristina Silva Mendes. “São formiguinhas que a partir de agora levarão as comunidades, tudo que aprenderam. As promotoras legais vão auxiliar mulheres que tinham uma situação de violência e que não sabiam o que fazer ”, afirmou Ana Cristina. Através de uma metodologia específica, o curso que teve início em março do ano passado e concluído em fevereiro deste ano, tem como objetivo estimular as mulheres a se reconhecerem como protagonistas e agentes de transformação social nas comunidades em que vivem e exercem sua liderança, seja no clube de mães, na associação de moradores, na família ou na igreja. Ao todo, foram realizados 21 encontros, com carga horária de 130 horas. A formanda Sirlei Regina, oradora da segunda turma das PLPs, pontuou em sua fala a responsabilidade de cada integrante do grupo. “Teremos um papel fundamental na multiplicação do conhecimento adquirido. Espero que o aprendizado em sala de aula contribua com o cotidiano de outras mulheres. Ao longo do curso, aprendemos a ouvir mulheres vítimas. E, não se trata apenas de transferência de informação, mas também de desenvolvimento de outros olhares. Pois, passamos a nos valorizar e cuidar de si, com melhoria da autoestima e reconhecimento de qualidades pessoais”. FORMANDAS 2015: Adriana do Carmo Gamarra, Andreia Christine Pall Orttt, Anéles de Oliveira, Antonia Fernandes da Silva, Aryanne Cristina Martins de Arruda, Azenir Gonçalves da Silva Teixeira, Benedita Elza de Sena, Clenice Francisca de Souza, Cristiane Lisboa dos Santos, Cristiane Mendes Machado Rocha, Eunice Souza de Arruda, Gilcélia Barbosa de Sousa, Iolanda Eli da Silva, Isabel Geralda da Cruz, Jéssica Fernandes Federici, Jocilene da S. Rodrigues Neves, Juramy Maria Martins de Arruda, Letícia Gabrielli Borges, Luciléia Assunção dos Santos, Marcia Guimarães Silva Marcoski, Maria Imaculada Nunes de Siqueira, Maria Margarida Ferreira, Maria Rosângela Silva de Sousa Barbosa, Marqueli Souza Carvalho, Miralva Clementina da Silva, Nayara Machado Sacramento, Neide Rego Aquino, Odete Nunes do Amaral, Patrícia Aparecida de Arruda Rodrigues, Rosângela da Silva Jucá, Simara Guimarães dos Santos, Sirley Regina Scheffer, Solange Basso Morais, Taynara Morais Humbelino, Vanici de França e Silva, Vanir de França e Silva, Venancia Pinto de Moura e Vitalina de Oliveira Peixoto.

Comentários

Os comentários não representam a opnião do jornal; a responsabilidade é do autor da menasgem.