Domingo, 18 de Agosto de 2019

PolíticaVárias categorias param nesta sexta

Postado 2 meses atrás Fonte: Redação

 

 

Nesta sexta-feira(14) vários serviços não estarão funcionando por conta da greve geral em protesto contra a reforma da Previdência.

 

Já divulgaram que vão aderir as escolas públicas, o Departamento Estadual de Trânsito (Detran),  as Secretarias do Meio Ambiente e da Saúde, transporte público de Cuiabá e Várzea Grande, tudo contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 006/2019.

 

"A Reforma da Previdência representa o desmonte da previdência no Brasil e atinge a todos os trabalhadores. Em todas as regiões do país as mais diversas categorias já decidiram  que vão paralisar suas atividades. Dia 14 é dia de ir para rua defendermos a nossa aposentadoria e o conjunto de nossos direitos", comenta Daiane Renner presidente do Sinetran-MT.

 

 “Já fizemos a comunicação ao governo e ao secretário de Saúde (Gilberto Figueiredo), inclusive, respeitando os prazos legais de comunicação”, disse vice-presidente do Sindicato dos Servidores Públicos da Saúde (Sisma), Ana Cláudia Machado.

 

Participam ainda estudantes, docentes e técnicos da Universidade Federal (UFMT), do Instituto Federal (IFMT) e da Universidade Estadual (Unemat).

 

O transporte também vai parar. “Estamos participando da organização e buscando mobilizar o maior número possível de trabalhadores para esse dia de protesto contra a retirada de nossos direitos, principalmente contra as ameaças contidas no projeto de reforma da previdência, que do jeito que está irá dificultar em muito o acesso à aposentadoria, direito sagrado do trabalhador brasileiro. Por isso, no dia 14 nossa categoria irá cruzar os braços em protesto contra essa situação. O transporte coletivo vai parar na capital e em Várzea Grande”, avisou o presidente do Sintrobac, Ledevino da Conceição.

 

 Segundo  o presidente nacional da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Vagner Freitas, não faltam motivos para aderir ao ato unificado.

Comentários

Os comentários não representam a opnião do jornal; a responsabilidade é do autor da menasgem.