Quinta-feira, 13 de Agosto de 2020
Unimed corona

PolíticaVereadores a favor da cassação de Emanuel registram B.O após serem vítimas de fake news

Postado 4 semanas atrás Fonte: assessoria

Nove vereadores de Cuiabá registraram um boletim de ocorrência junto à Polícia Judiciária Civil (PJC) alegando serem vítimas de fake news. As falsas notícias saíram depois que eles tornaram público o apoio ao relatório da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI do Paletó), que pediu o afastamento e a abertura de comissão processante que pode culminar na cassação do prefeito Emanuel Pinheiro.

Registraram o boletim os vereadores Marcelo Bussiki e Sargento Joelson, que fizeram parte da  comissão que elaborou o relatório, além dos parlamentares Abílio Júnior, Dilemário Alencar, Felipe Wellaton, Diego Guimarães, Clebinho Borges, Lilo Pinheiro e Wilson Kero Kero.

Além do boletim, os vereadores protocolaram um ofício ao delegado-geral da PJC, Mário Dermeval, solicitando que a Gerência de Combate a Crimes de Alta Tecnologia (Gecat) investigue o crime de produção e distribuição de fake news nas redes sociais, que atribuem mentiras relacionadas aos vereadores.

Conforme o ofício, os vereadores relatam que os ataques virtuais já existiam por eles fazerem parte de um grupo de oposição ao prefeito Emanuel Pinheiro e questionarem e denunciarem todos os atos suspeitos cometidos na Prefeitura de Cuiabá.

No entanto, os ataques foram intensificados nos últimos dias, em razão do apoio que o grupo tem dado em favor do relatório da CPI do Paletó, apresentado na última sexta-feira na Câmara de Cuiabá. Desde que o relatório foi publicizado, os vereadores passaram a ser alvos de áudios e mensagens mentirosos e falsos, a fim de denegrir a imagem dos mesmos junto à sociedade. 

Esses áudios e mensagens, inclusive, serão encaminhados à Polícia Civil para que se apure e responsabilize os envolvidos. “Temos o objetivo de chegar aos autores, visto que esse tipo de notícias falsas veiculadas através das redes sociais se configura crime”, diz trecho do ofício.

CPI do Paletó

O relatório apresentado pela CPI do Paletó pede o afastamento do prefeito Emanuel Pinheiro do cargo durante o prazo de 180 dias, bem como a abertura de comissão processante contra Pinheiro, que pode culminar na cassação de seu mandato. O documento foi aprovado com dois votos a favor, dos vereadores Sargento Joelson e Marcelo Bussiki. O vereador Toninho de Souza, relator da comissão, apresentou um relatório também, mas foi voto vencido.

Conforme o relatório aprovado, Emanuel Pinheiro cometeu infrações éticas e agiu com conduta incompatível com a dignidade e o decoro do cargo que ocupa, além de ter cometido crime de improbidade administrativa ao ter recebido propina na época que era deputado estadual. O recebimento dos valores ilícitos, inclusive, foi gravado e mostra Emanuel recebendo maços de dinheiro e os colocando no paletó.

Comentários

Os comentários não representam a opnião do jornal; a responsabilidade é do autor da menasgem.