Gallo defende Mendes e diz que verba para o BRT está garantida

Saindo em defesa do governador Mauro Mendes, o secretário de Estado de Fazenda (Sefaz), Rogério Gallo, declarou que a verba para a execução do BRT (em português, ônibus rápido no trânsito) está garantida e em caixa. De acordo com o secretário, o custo é de R$ 530 milhões.

"Os recursos do BRT estão garantidos, são R$ 530 milhões que estão no caixa, garantidos, recursos separados para o BRT, portanto, independentemente de quem será o próximo governador, essa é uma obra que vai durar mais de 12 meses, esses recursos estão em caixa, o BRT está garantido financeiramente, não haverá qualquer risco. É dinheiro próprio, do Estado", afirmou.

Nesta quinta, o governador Mauro Mendes (DEM) anunciou ainda que vai quitar a dívida remanescente do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) com a Caixa Econômica Federal, no valor de R$ 560 milhões, para avançar nas tratativas do BRT.

O Tribunal de Contas da União (TCU) proibiu, nesta quarta-feira (24), que o Conselho Curador do FGTS, da Caixa Econômica Federal, utilize os recursos do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) para as obras do BRT (Ônibus de Rápido Transporte) em Mato Grosso.

Segundo Gallo, a expectativa é que as tratativas para quitar a dívida se finalizem nos próximos dias.

"Nós vamos quitar, vamos fazer a liquidação antecipada desse contrato, estamos em tratativas com a Caixa Econômica já. Então, não haverá mais saldo de financiamento devedor com a Caixa Econômica, a gente espera fazer isso nos próximos dias", declarou.

Mendes anunciou o fim do imbróglio do VLT em dezembro de 2020, com a troca do modal pelo BRT. Na época, segundo o chefe do Executivo, a ordem de serviço para obra é de 24 meses, inicialmente, e o valor estimado da tarifa é de R$ 3,04. A licitação da obra ainda não foi lançada.

 

FOTO: DIVULGAÇÃO



INFORMES PUBLICITÁRIOS

ENQUETE

Você pretende se vacinar?
PARCIAL