Terça-feira, 07 de Abril de 2020
ENERGISA CORONA

Mato GrossoEspecialista dá dicas de como cobrar honorários em advocacia previdenciária

Postado 5 anos atrás Fonte: oab

Importantes orientações foram apontadas pelo advogado e professor de direito previdenciário Rodrigo Telles durante o curso “Cobrança de Honorários Advocatícios no Direito Previdenciário”, que será realizado no auditório da Escola Superior de Advocacia de Mato Grosso (ESAMT) na última quinta-feira (23 de abril), em parceria com a OABMT e a Caixa de Assistência dos Advogados (CAAMT). O palestrante destacou a importância do profissional da advocacia valorizar seu trabalho. “Conhecimento custa caro, leva tempo. Cobrar é necessário sob pena de concorrência desleal e é possível ganhar dinheiro nessa área”, apontou. Rodrigo Telles explicou que grande parte dos clientes previdenciários tem uma linguagem própria e o advogado não deve “dar aula de direito” a ele e sim buscar compreender o que ele pretende demandar na justiça. Muitos não têm condições de pagar honorários no início do processo e, por isso, é muito comum o advogado arcar com todas as despesas e só receber no final. “Grande parte dessas demandas quem pagará os honorários será a União ao final. É importante que tudo seja bem especificado no contrato de honorários. O cliente não ter dinheiro é uma coisa, não cobrar é outra”, observou. O especialista orientou que seja inserido no contrato o valor do atendimento, das diligências, dos honorários e outros da forma mais detalhada possível e que, ao final da demanda, preste contas ao cliente com todos os itens. “O caminho é a especialização e melhor propaganda é a ‘boca a boca’. Ninguém escolhe médico, dentista pela lista telefônica e sim por indicação. Advogado também é uma relação de confiança. Dá pra montar escritório só de um benefício. Tive um aluno que montou escritórios em oito estado só para lidar com aposentadoria especial. O detalhe é que, nestes casos, os processos têm prioridade e o advogado pode ganhar com volume. Esses clientes, em sua maioria, são pessoas simples e honestas”, observou.

Comentários

Os comentários não representam a opnião do jornal; a responsabilidade é do autor da menasgem.