Caso de assassinato de Toni Flor a mando da esposa ganha repercussão nacional


O caso do empresário Toni da Silva Flor, que foi assassinado com 5 cinco tiros quando chegava numa academia em Cuiabá em agosto de 2020 foi exibido no Fantástico da Rede Globo neste domingo (12).

O caso ganhou repercussão quando se descobriu que na verdade quem havia mandado matar o empresário foi a própria esposa Ana Cláudia Flor que não queria dividir os bens já que ele havia pedido o divórcio.

Ela acompanhava a investigação e pedia justiça pela morte do marido.

Foram exibidas entrevistas da mãe e de uma irmã de Toni, que falaram sobre a frieza de Ana Cláudia e sua estratégia de se manter próxima da família para que não fosse considerada suspeita pelo crime. Leonice da Silva Flor, mãe do empresário, confirmou que a relação dele com Ana Cláudia era conturbada e tensa, tanto que Toni havia decidido pela separação. "Ele não brigava, ele saía de casa. Pegava uma e ia pro hotel", relatou a mãe. Conforme ela, na útlima briga com a esposa Toni avisou que ia mudar de vida. "Nesse dia ele falou, mãe eu vou separar da Ana. Ele comunicou isso a ela", revelou Leonice.

Na reportagem foi exibido entrevista de Ana Cláudia dizendo que o marido teria sido morto por engano, ao supostamente ter sido com um policial federal que frequentava a mesma academia. A estratégia da viúva de se aproximar de familiares de Toni após sua morte e também ir com frequência até a delegacia para se inteirar do avanço das investigações foi mostrada na reportagem. Ela, inclusive, foi até a casa da ex-sogra no dia do seu aniversário, a parabenizou e disse que não havia esquecido de Leonice.

O delegado Marcel de Oliveira, que conduziu o inquérito na Delegacia Especializada em Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) disse que ela sempre queria saber se havia suspeito, era sempre essa pergunta, ‘já tem suspeito?’.

O caso já foi encaminhado ao Ministério Público Estadual (MPE), responsável por oferecer a denuncia criminal contra os indiciados pelo homicídio. "Não há qualquer dúvida de que ela foi a mandante desse homicídio. Ela não queria com a separação do casal, dividir os bens do casal, esse foi o principal motivo do crime", disse o promotor de Justiça, Samuel Frungilo, ao Fantástico.

O crime foi praticado no dia 11 de agosto de 2020, ocasião em que Toni Flor chegava em uma academia no bairro Santa Marta, em Cuiabá, e foi surpreendido por um homem de cabeça baixa. Era Igor Espinosa, que abordou o empresário dizendo “perdeu”. Em seguida, disparou 5 vezes contra Toni e fugiu. Para fechar o acordo com Ana Claudia, fez uma videochamada com mais dois intermediadores, que também foram presos.

Em depoimento prestado à Polícia Civil, Igor relatou Ana Cláudia prometeu pagar R$ 60 mil pela execução. Para a Polícia Civil, ela mandou matar o marido por medo após anunciar que iria se separar. Ana Claudia foi presa no dia 20 de agosto deste ano, pois que o executor foio preso e confessou que matou o empresário a mando da esposa. De acordo com o delegado Marcel de Oliveira, ela prometeu R$ 60 mil para o executor e intermediário do crime, sendo que R$ 20 mil foi efetivamente pago e ele torrou no Rio de Janeiro onde passou uma temporada de três meses.

foto reprodução 



ENQUETE

Você pretende se vacinar?
PARCIAL