Associação de Cabos ao ter ciência de caso da jornalista oferece ajuda psiquiátrica

Após os episódios mostrando que Nildes de Souza, 37 anos precisa de ajuda psiquiátrica, o presidente da Associação de Cabos e Soldados (ACS-MT), cabo Laudicério Aguiar Machado entrou em contato com a família oferecendo ajuda profissional de um psiquiatra.

Ela foi presa após jogar cerveja no rosto de um policial cabo no dia 12 depois ontem na Praça Popular desrespeitando uma medida judicial que a impedia de frequentar bares e tomar bebida alcoólica. E ainda causou confusão em outro bar na região do zero quilômetro em Várzea Grande.

Ela mesma disse na audiência de custódia que tem transtorno bipolar e sofre de alcoolismo.

O psiquiatra que vai cuidar do caso é o Dr. Gleisson Libardi que prontamente se ofereceu.


Após ser presa pela primeira vez na segunda, o Tribunal de Justiça (TJMT) determinou medidas cautelares a jornalista, como a proibição de ingerir bebidas alcóolicas e frequentar bares. Nildes descumpriu a determinação e foi flagrada novamente na Praça Popular na noite da quarta-feira (13).

Desaparecida


Nildes após o episódio no zero quilômetro está com paradeiro desconhecido.

Contudo, o presidente da ACS-MT afirmou que entrou em contato com o 190 e emitiu um alerta para que ela seja encaminhada ao tratamento psicológico assim que for localizada.

foto reprodução 



ENQUETE

Você pretende se vacinar?
PARCIAL